Política de Privacidade

Política de Privacidade

A GERAR SAÚDE ANIMAL tem o compromisso com a privacidade e a segurança de seus clientes durante todo o processo de navegação pelo seu site. Os dados cadastrais dos clientes não são vendidos, trocados ou divulgados para terceiros, exceto quando essas informações são necessárias para o processo de entrega, para cobrança ou para participação em promoções solicitadas pelos clientes.

Sobre a coleta de dados

Informações de navegação no site – Quando você visita nosso site, é inserido um ‘cookie’ no seu navegador por meio do software Google Analytics, para identificar quantas vezes você retorna ao nosso endereço. São coletadas, anonimamente, informações, como endereço IP, localização geográfica, fonte de referência, tipo de navegador, duração da visita e páginas visitadas.

Sobre o uso de suas Informações Pessoais

O presente termo permite que a GERAR SAÚDE ANIMAL use suas informações pessoais apenas para os seguintes fins: O email é utilizado para o envio de materiais publicitários ou informação por você requisitada no preenchimento de formulários. Também pode ser usado para envio de Notícias, sempre relacionadas ao produtos e serviços comercializados pela GERAR SAÚDE ANIMAL. Por fim, o email será utilizado ainda para comunicar o lançamento de novos produtos ou serviços. No entanto, o usuário pode cancelar a assinatura a qualquer momento.

Sobre o compartilhamento de conteúdo nas redes sociais

Ao clicar nos botões de compartilhamento de conteúdo nas mídias sociais disponíveis em nossas páginas, o usuário estará publicando o conteúdo por meio de seu perfil na rede selecionada. A VITRON não têm acesso ao login e senha dos usuários nessas redes, nem publicará conteúdo em nome do usuário sem que ele realize esta ação.

E-mail: vetgomes@gmail.com.br

O paladar e o olfato do felino estão intimamente ligados. Ele sente muito melhor o cheiro se também o sentir pela boca.

Cães e gatos machos marcam o território com urina. É uma herança dos ancestrais selvagens que deixavam o seu cheiro para afastar outros machos do seu território pois estes representam perigo para os seus filhotes e disputam alimentos no território. Cachorros levantam a perna para fazer xixi mais alto e, assim, demarcar um espaço maior.

Filhotes fazem isso com as patas enquanto mamam na mãe, para estimular a saída do leite. Quando adultos, alguns não perdem o hábito e fazem o mesmo conosco.

É uma forma de comunicação da matilha. É como se ele “respondesse” ao latido.

Cães selvagens abatem presas grandes e roem para aproveitar toda a carne, absorver cálcio e limpar os dentes. Já os gatos caçam animais pequenos, com ossos fáceis de quebrar. Cães de estimação que passam o dia roendo por puro tédio podem perder os dentes! Ofereça ossinhos de couro, que são bem macios.

Há várias teorias. Uma delas diz que o som é provocado pela vibração das cordas vocais, quando o gato está feliz. Mas sabe-se que, além do prazer, ele costuma ligar o “motorzinho” quando sente dor ou está angustiado. O gato pode ronronar também para mostrar submissão.

Gato tem medo de animais maiores. Ao se deparar com um cão desconhecido, costuma se comportar como uma presa perfeita: caminha agachado, se move devagar e sai correndo de repente, atiçando o instinto predador do cão. Mas os dois convivem numa boa se forem criados juntos. Não são inimigos naturais.

Por carinho,e também para ficarmos impregnados com o cheiro deles. Para o gato, o que tem o seu cheiro, lhe pertence. É como se falasse: “você é meu !”.

Depende. O gato aprende por observação e é capaz de abrir janelas e portas de fácil manuseio apenas prestando atenção em como fazemos. Um cão treinado consegue fazer o mesmo e também outras coisa.

Não odeia: o que ele detesta é perder o controle da situação ao ser agarrado e ensaboado na marra. Gato. Ao banhá-lo, vá devagar, molhe-o aos poucos e com delicadeza.